10_watering-can1

Como pode um objeto ser incrivelmente, primorosamente, perfeitamente concebido e ser uma chatice de usar?

Isso é precisamente o que Katerina Kamprani mostra-nos com “O Desconfortável”, uma coleção de objetos domésticos conhecidos tornados completamente inutilizáveis com alguns ajustes simples. A mostra inclui botas de chuva com os dedos de fora, um regador de plantas que derrama o liquido de volta para dentro, e um botão de tão grosso quanto um polegar.

Kamprani , um designer e arquiteto em Atenas, cria os objetos com um software de renderização 3D. Sua primeira criação teimosa foi um armário com portas que se abriam para dentro.

O conceito é inteligente por si só, mas a execução poética de Kamprani é o que torna o projeto tão grandioso. Cada objeto permanece em grande parte fiel aos materiais e formas do original; normalmente há apenas uma mudança hábil que joga todas sua utilidade fora.

Kamprani começa recriando os passos que é preciso para usar um objeto , isolando uma única interação para sabotar . Ela consulta com os amigos e desenha esboços, fazendo testes de uma variedade de ajustes e transformações até que ela encontra apenas o caminho certo. “Eu sei que uma idéia é boa quando é tão ridícula que eu mesmo me surpreendo “, diz ela .

03_doorstep 05_chair 07_bowl 11_spoon 01_pot 15-saltshaker 08_rainboot 14_button 12.1_pomolo 06_broom 04_fork 13_glass 04_key

Em cada caso, há uma verdadeira elegância à ineficiência que Kamprani evoca. O humilde Oreo é um triunfo do design de biscoito, e temos uma dívida de gratidão para com o seu inventor. Mas é preciso uma mente igualmente incisiva para ver quão completamente você pode estragar a coisa toda, só invertendo os ingredientes.

11_oreo-660x495

Você poderia dizer que Kamprani é o melhor do design terrível em qualquer lugar do planeta. Existe, no entanto , um produto que ela não foi capaz de subverter . ” Eu tento e tento e penso de novo e de novo, mas eu ainda não consegui ter uma idéia que vá me fazer rir “, diz ela .

Esse objeto indescritível para o qual o momento Eureka – ou no mínimo, a marca bizarra de Kamprani dele – ainda não chegou ? A lâmpada.

Fonte: Wired