Os designers londrinos Azusa Murakami e Alexander Groves, do Studio Swine, construíram uma fundição móvel para processar latinhas de alumínio recolhidas na cidade de São Paulo (SP) e com isso estimular a elaboração de móveis e outros objetos úteis e comercializáveis.

Catadores independentes dão conta de mais de 80% da coleta de lixo reciclável da capital paulista, o vídeo foi uma forma de mostrar como esses bravos “garimpeiros” podem valorizar o seu material, transformando o lixo em produtos de valor agregado.

A dupla recolheu latas descartadas de um vendedor ambulante; óleo de cozinha usado em feira que serviu como combustível para fundir o alumínio; areia em canteiro de obras para criar moldes e assim por diante — de forma que todo o material utilizado foi criado a partir de objetos recolhidos nas ruas.

Os designers sugerem que, com o forno, catadores podem fabricar pequenos itens para vender como lembranças na Copa de 2014 ou dos Jogos Olímpicos de 2016.

O vídeo Can City (acima, que pode ser traduzido como “cidade de lata”) é uma produção de Juriaan Booij mostrando todo o processo, desde a coleta até a transformação das latas de alumínio em objetos utilitários.

Fonte: Revista VEJA, Ricardo Setti