Um evento focado na troca de experiências em pesquisa e extensão, movimentou pesquisadores, acadêmicos e professores de design de diversas regiões do Brasil. O evento foi sediado e organizado pelo Curso de Desenho Industrial/UFES (Universidade Federal do Espirito Santo). O evento contou com a presença de Rita Couto (PUC-Rj) uma das autoridade em educação, design e pesquisa.

Abaixo, alguns bons e memoráveis momentos do evento:

A)Coffe Breaks (29 e 30/09)

O ambiente acadêmico da UFES respira design e um certo ar subversivo e criativo, o que eu achei excelente – ambientes criativos devem ser assim, professores e acadêmicos interagindo e compartilhado idéias e projetos. Curiosamente o evento iniciou pelo coffe break que se mostrou muito interessante e válido para “quebrar o gelo”entre os participantes.

B)Projetos de Extensão: revista “Vida Capixaba” (29/09)
Um interessante vídeo retratando os resultados de um levantamento histórico e gráfico sobre uma revista, ícone por quase 50 anos, da cultura capixaba. O eixo do trabalho foi a análise gráfica e imagética (semiótica) analisando lettering (combinação entre letras diferentes, apenas com aspecto visual), padrões, formatos e histórico de impressão do veículo de comunicação. Muito interessante.

C)Apresentação de Núcleo de Pesquisa e Design/UFES/Desenho Industrial (29/09)
Muito positivo observar a organização de núcleos que geram pesquisas, trabalhos de extensão e artigos científicos em diversas áreas de conhecimento do design. Diversas experiências, projetos e trabalhos classificados para eventos internacionais – design gráfico, digital, produto e prestação de serviço para a própria UFES. Um exemplo a ser seguido.

D)Rita Couto (PUC-Rj) – Pesquisa em Design: desafios e perspectivas (29/09)
Rita Couto fala como poucos, e com bastante propriedade sobre a história do design acadêmico no Brasil. Em sua palestra, comentou diversos assuntos ligados a história, ao processo de consolidação (336 cursos de graduação em design o brasil, 2010) e citou pessoas que trabalharam pelo desenvolvimento dos 14 cursos de Pós-graduação (mestrado e doutorado) em Design no Brasil (aqui ela lembrou do saudoso e divertido Gustavo Amarante Bonfim). E lembrou a platéia sobre o nascimento da primeira publicação nacional de peso no Design: a revista P&D (1994), um salto enorme na produção científica no design que  no evento de 2010 contou com 1.081 pesquisadores nacionais inscritos e 13 estrangeiros. E nos lembrou de um grande problema no Design Brasileiro: 2/3 do Pais não possui cursos de Pós-graduação em Design (Mestrado e Doutorado) o que é alarmante, dada a produção cientifica nacional e a consolidação do design.
Encerrou sua palestra dizendo: “O designer  de hoje, diferente do passado, faz e “pensa” no que faz. E para isso, a pesquisa é de fundamental importância. Ensino e Pesquisa não estão desassociados, “são a mesma coisa”.

e) Apresentação de Artigos e Pesquisas Científicas (29 e 30/09)
Não há momento em um seminário/simpósio ou congresso que não seja mais importante que o debate e a abertura de perguntas a uma platéia. É o momento ideal para o pesquisador/autor expor seu(s) ponto(s) de vista, e ser chamado, pela platéia ou acadêmicos, a proferir juízos e opiniões sobre assuntos relacionados ao universo de seu trabalho e pesquisa.
Nesse aspecto o SIMPEX foi extremamente positivo – trabalhos de ótica histórica, conceitual, projetual e de tendência foram discutidos/debatidos gerando a troca de experiências necessárias a validação do Evento. Os dias geraram bons debates e idéias.

f) O pós-evento (a socialização entre organização, acadêmicos e pesquisadores)
Um outros aspecto de qualquer evento de pesquisa: a troca de informações, contatos e experiências fora do evento de pesquisa geram a empatia e o conhecimento “extra-eventis” onde muitas vezes organizamos a ida a novos eventos, parcerias, tratados de cooperação e futuros encontros em outros Eventos pelo Brasil. Socializar é um dos momentos mais interessantes de qualquer evento. Experiências e contatos entre profissionais de ES, RJ, MG, SP e AM(Eu!).

g) A culinária local
Um dos aspectos que todo viajante (pesquisador) não pode se privar. É um ponto muito importante no que tange memórias e a história de cada um que viaja pelo Brasil ou Exterior. Na foto o Kieber (um empanado de queijo, presunto e catupiry) um dos pratos famosos de Vitória/ES

Conclusão
O Simpex foi um daqueles bons eventos, onde você descobre que muitas coisas que questionamos em sala de aula se repetem e vários lugares do Brasil, bem mais que imaginamos. O Design ainda está em processo de consolidação histórica e cultural – muitas idéias estão surgindo, e outras caindo por terra. Muitas pesquisas expostas me inspiraram a fazer, e reconsiderar, outras pesquisas.

Um cérebro que se abre ao conhecimento, nunca mais volta ser o mesmo.

Até ao II SIMPEX2013 Vitória(ES)!